sexta-feira, 11 de maio de 2012

A musica nas relações interpessoais


A música exerce um papel importante nas relações interpessoais, sendo responsável por determinados efeitos na atração entre os indivíduos. Embora completamente diferentes, a atração e a música têm algo em comum: ambas estão ligadas ao surgimento dos sentimentos.
A importância da música para o relacionamento humano está discutida no artigo Música, comportamento social e relações interpessoais, de Beatriz Ilari, professora do Departamento de Artes da Universidade Federal do Paraná (UFPR), publicado na revista Psicologia em Estudo.
O estudo envolveu 50 adultos não-músicos, com média de 27 anos de idade, que tiveram que escolher parceiros em classificados. Cada participante foi exposto a cinco pares de anúncios de jornais e de sites na internet para a escolha do parceiro que lhe parecesse mais atraente. A variável música foi colocada em alguns anúncios.
Além disso, eles tiveram que descrever impressões sobre os ouvintes de sete gêneros musicais diferentes. O entrevistado deveria ler uma pergunta e escrever um mínimo de dois adjetivos para cada um dos estilos musicais propostos. Os voluntários responderam ainda a questões sobre o uso da música em seus relacionamentos afetivos, incluindo questões abertas sobre sexo, idade e experiência educacional e musical.
A análise do comportamento dos voluntários selecionados para o estudo diante dos classificados e sites de namoro e paquera mostrou que a música é possivelmente mais uma variável dentre as muitas que são consideradas na escolha de parceiros. Os testes estatísticos indicam que o grupo que optou por textos que faziam alguma referência à música não era diferente estatisticamente daquele que não fazia.
As respostas das questões sobre o uso da música no cotidiano, na outra parte do trabalho, evidenciaram dois fatores importantes, segundo a pesquisadora. O primeiro é que para 67% das pessoas a música teve algum papel relevante em determinado momento da vida. A tabulação das opiniões permitiu ainda a elaboração de quatro grupos de usos do universo musical.
O primeiro foi chamado de “objetivos de excitação”. Nesse caso, a música tem a função de aumentar ou diminuir o estado de excitação dos ouvintes. Os indivíduos podem escolher gêneros musicais diferentes dependendo do contexto social em que se inserem. Ritmo e andamento musicais parecem ter uma função importante.
A outra função é de “fundo acústico”. Para as pessoas que se encaixaram nesse agrupamento a música é um elemento importante na criação de atmosferas ou ambientes sonoros, inclusive no preenchimento de “lacunas” deixadas pela ausência de conversação ou interação entre as pessoas no decorrer de um evento social.
A música pode ser ainda, conforme mostra a pesquisa, “facilitadora de atividades” ou “artefato mnemônico”. Enquanto no primeiro caso ela promove a aproximação de indivíduos, no segundo facilita o armazenamento de eventos significativos na memória. Isso é comum em casais e amigos que elegem uma canção musical como um ícone de representação de seu relacionamento.
Do ponto de vista da psicologia cognitiva, a música está relacionada à atração interpessoal, conclui o estudo, com base nos resultados obtidos. “Alguns estereótipos de personalidade associados aos gêneros musicais foram encontrados, como a associação de samba com a pobreza e da música clássica com idosos. Isso sugere que o gosto musical pode acabar tendo influência na escolha de parceiros”, explica a autora. “A música parece aproximar os indivíduos, além de promover a interação social e de trazer riqueza cultural e diversidade". 
 askablog-laskaaskablog-laskablog.blogspot.comblog.blogspot.com




Nenhum comentário:

Postar um comentário